O Brasil precisa mudar. E você também.

Nosso país é uma contradição tremenda. Vivemos num ambiente desigual, mas bem desigual mesmo. Nele ainda se cultua a exploração do trabalhador hipossuficiente, ranço do coronelismo, da tradição das famílias que mandam e desmandam, muitas das quais são praticamente donas de Estados ou pelo menos se acham a última Coca-Cola do deserto, dada a arrogância e a imponência que reinam no país. O salário brasileiro mínimo é uma vergonha.

O professor neste rico país recebe por hora aula uma miséria, pois a educação está longe de ser prioridade para os representantes deste país. Até quando estaremos assim? Infelizmente, no Brasil, valoriza-se a cultura da imbecilidade e da falta de leitura que produz alto índice de analfabetos funcionais. Vive-se a ideologia da bestialidade, da televisão que deixa os telespectadores cada vez mais burros, da música sem letra, da dança pornográfica, da exposição do bumbum da moda e da inteligência no pé em detrimento da mente, que faz jogadores ganharem milhões para chutar uma bola e o povo se matando pelo seu time enquanto os jogadores e os donos do futebol estão curtindo, deleitando-se com o melhor desta vida, claro.Tudo é consequência da alienação e do fanatismo exacerbado. O BBB da Rede Globo nada mais é do que mais uma novela apelativa, mais uma fábrica de zumbis, tolos e títeres, cujas emoções têm se degradado ao mais baixo nível. A hegemonia das drogas e das organizações criminosas é assustadora, fazendo o povo seu refém cotidiano. Os programas sensacionalistas propagam a culto à violência e enriquecem os donos de emissora pela mídia escancarada da venda estampada de comerciais nos horários que alcançam a grande massa inculta.

Apresentadores de televisão riquíssimos ganham milhões para apresentar bobagens em prejuízo do telespectador. Lendo nada pouco ou quase nada, preso às redes sociais, reféns do besteirol, o público não tem consciência da própria miséria em que afunda.Templos religiosos, com raríssima exceção, tornaram-se polo de comércio e monopólio. São os especuladores da boa-fé. E os políticos? Estes estão muito bem. Todo mundo quer ser político, todo mundo que mamar e mamar, se dar bem neste outro campo de exploração. Ganham eles absurdo de dinheiro enquanto o povo sofre e briga por políticos que só pensam no seu próprio umbigo.

Cada vez mais sinto nojo desta política safada do nosso país. Até religiosos se aproveitam e entram nesta ciranda de ganhar mais e mais. Nojo! Brasil, muda.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.